UMA VITÓRIA, DOIS PERSONAGENS. | Diário Celeste
HomeCrônicasUMA VITÓRIA, DOIS PERSONAGENS.

UMA VITÓRIA, DOIS PERSONAGENS.

Salve, salve nação azul celeste. Três dias após enfrentar um Maracanã lotado o Cruzeiro voltou a campo contra a Chapecoense, em jogo valendo pela 23ª rodada do Brasileirão,com um time misto e venceu por 2 a 1 (Rafinha e Raniel).

O jogo era difícil como sempre é quando se enfrenta a Chapecoense na Arena Condá, ainda mais com o time tendo que virar a chave de uma final de Copa do Brasil disputadíssima para um jogo de Brasileirão. Mano surpreendeu  na escalação, deixou Sassá no banco e, pensando no jogo do dia 27 de setembro, colocou Raniel pra jogar. A partida começou com a Chape indo pra cima, naquele tradicional abafa de início de jogo, mas aos poucos o Cruzeiro equilibrou as ações.  O ritmo do jogo não era dos mais velozes, mas as chances eram criadas, principalmente pelo time catarinense, que levantava a bola na área e via seu ataque ganhar quase todas no alto, porém, parando nas mãos inspiradas do goleiro Fábio. Mas, quem saiu à frente foi o Cruzeiro, no último lance da primeira etapa, em bela jogada pela esquerda, Raniel achou Rafinha livre na área adversária e o meia, com muita tranquilidade, cortou um zagueiro e colocou na saída do goleiro fazendo 1 a 0.

A partida deu  uma esquentada depois do intervalo, a Chapecoense tentou esboçar uma pressão e exigiu duas grandes defesas de Fábio ainda no primeiro minuto. Mas o Cruzeiro voltou bem, a proposta de esperar e sair em rápidos contra ataques surtiu efeito e o time desperdiçou chances incríveis de gol. Do outro lado, Fábio desequilibrava a favor do Cruzeiro com defesas sensacionais. Mas, foi de uma bola parada que saiu o segundo gol celeste, depois de uma falta cobrada pra área, Raniel fez no rebote do goleiro, após bela cabeçada de Léo. Seria a pá de cal na equipe de Santa Catarina, mas o time celeste quase se complica, em mais um lançamento pra área o Cruzeiro tomou um gol de cabeça, outra bola aérea em que a defesa azul viu o ataque adversário levar vantagem. Após o gol catarinense, quando parecia que viria uma pressão maior pelo gol de empate, o Cruzeiro prendeu a bola e não deixou o time de Santa Catarina ter mais nenhuma chance clara de gol. O jogo terminou mesmo com a vitória celeste, foi um triunfo importante demais, primeiro porque o time somou 3 pontos valiosíssimos para a pretensões do clube no brasileirão, mas também, por conseguir dar um descanso aos titulares mais desgastados no momento.

Mas como diz o título de nossa coluna, essa vitória teve dois grandes personagens. O primeiro é Raniel, o jovem atacante mostra cada dia mais desenvoltura no time e, além de ter feito o gol típico de camisa 9, deu assistência no primeiro. Esse garoto mostra que tem estrela e tá num momento muito bom, vem se credenciando a cada dia para ser o homem gol da final da Copa do Brasil. O outro personagem é Fábio, é impossível não enaltecer a atuação de gala do goleiro celeste, nosso camisa 1 foi decisivo no jogo. Todo cruzeirense que se preze tem que respeitar a história desse jogador, além de ser grato por cada defesa, cada palavra de incentivo, por toda sua dedicação e respeito ao clube.

Essa vitória mantém o Cruzeiro vivo na briga pelo famigerado G6, além de manter o astral do elenco lá em cima pra essa final de Copa do Brasil tão esperada por todos. Mano terá uma semana cheia de trabalho pra poder manter esse time focado no Brasileirão e manter essa pegada forte do time, que vem bem demais.

Um grande abraço a todos e todas!

Até a Próxima!!!

 

Compartilhar com:

Simplesmente um homem de fé. ah e Cruzeirense também, aliás, cruzeirense demais!!!

Comentários