ENTREVISTA COM RAPHINHA, JOIA DA BASE CELESTE | Diário Celeste
HomeNotíciasENTREVISTA COM RAPHINHA, JOIA DA BASE CELESTE

ENTREVISTA COM RAPHINHA, JOIA DA BASE CELESTE

Salve nação azul!

A Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2017, começou para o Maior de Minas na última quinta-feira dia 04, na vitória por 2×1 de virada sobre o Batatais, time vice-campeão da copinha no ano passado. A competição é uma grande oportunidade para os garotos da base dos times brasileiros se destacarem, e nos do Diário Celeste, tivemos a oportunidade de entrevistar, uma das joias da base do Cruzeiro, que está na disputa da copinha, o lateral esquerdo Raphael Lourenço, mais conhecido como Raphinha.

Diário: Ei Raphinha, tudo bem?! Gostaríamos de agradecer por estar recebendo o Diário Celeste para essa entrevista e dizer que e um grande prazer bater esse papo com você, um jovem com um futuro promissor e que temos a certeza de que dará muitas alegrias à torcida celeste ainda. Pra gente iniciar, fala um pouquinho pro torcedor quem é o Raphinha Lourenço?

Raphinha: Lateral esquerdo do sub-20 do Cruzeiro, nascido em 1999. Sou um jovem sonhador que batalha diariamente com determinação e foco para transformar meu sonho em realidade: tornar-me um jogador profissional aqui no Maior de Minas!

Diário: O Cruzeiro tem uma das melhores estruturas de futebol de base e não por acaso, colhe frutos deste investimento. E sabemos que você é uma das promessas da nova geração. Fala um pouquinho pra gente sobre a sua trajetória até aqui e como foi seu início no futebol? Sempre sonhou em ser um jogador?

Raphinha: Comecei na escolinha de futsal do América – RJ e logo em seguida fui para o futsal do Flamengo, que não tinha ainda minha categoria por eu ser muito novo, e então eu jogava com os mais velhos. Passei 4 anos no futsal e depois fiz a transição para o campo, onde permaneci por mais 3 anos e meio. Na categoria sub 14, minha família junto comigo resolvemos sair do Flamengo e ir para o Fluminense, que na época tinha a melhor categoria de base do RJ, e eu era muito cobiçado por eles. Fiquei por lá 1 ano e meio. No final do sub 15, recebi o convite de vir para o Cruzeiro um clube que possui um história vencedora, estrutura e tradição na formação de jogadores de futebol. Em março de 2018 completo 3 anos de clube e estou muito feliz!

Diário: Pegando um pouquinho da sua trajetória, quais as maiores dificuldades que você encontrou no caminho até chegar à base do Cruzeiro?! E qual conselho você daria para os jovens que estão iniciando agora na carreira de jogador de futebol?!

Raphinha: Para seguir essa carreira de jogador tem que ter muita determinação. É difícil ver seus amigos do bairro saindo e se divertindo e te chamando para curtir, e você negar porque tem treino de manhã no dia seguinte ou então tem jogo, mas pra quem tem objetivos e sonhos essas barreiras ficam pequenas. A disciplina anda alinhada com o futebol, e para vencer no esporte é necessário amadurecer mais cedo que os outros e manter o foco no objetivo.

Diário: E falando um pouco da sua chegada à base do Cruzeiro, o que fez o Raphinha optar por vestir a camisa Celeste?!

Raphinha: Com certeza a estrutura oferecida aos atletas. Aqui encontrei os melhores profissionais e evolui muito técnica e taticamente. Fisicamente, minha evolução também foi muito boa. A Toca I é muito organizada e aparelhada. A melhor estrutura que tive até agora, apesar de ter passado antes por dois grandes clubes brasileiros. A minha família levou em consideração também a escola mantida pelo clube em suas dependências. Acabei de terminar o ensino médio e agora vou em busca da faculdade, quero me formar em Educação física.

Diário: Qual a importância da família nessa decisão tão importante tendo em vista tudo o que você pasou até chegar aqui?!

Raphinha: Minha família é a minha base! São muitas as dificuldades. A vida de atleta não é nada fácil. Devo muito a eles, são de extrema importância para a minha formação pessoal e profissional. Somos uma família muito unida.

Diário: Como jogador, já percebemos o seu caráter ofensivo!! Tem algum jogador em que você se inspira? Quem são (foram) suas principais influências no esporte?!

Raphinha: Gosto muito do Marcelo (Real Madrid), um lateral muito objetivo e criativo, muita qualidade ofensiva e defensiva, além de utilizar bem as duas pernas. Eu também tenho essa facilidade de utilizar as duas pernas.

Diário: Já se imaginou jogando no Mineirão lotado?!

Raphinha: Claro, seria um sonho realizado vestir a camisa celeste na equipe principal, com o Mineirão lotado gritando meu nome!

Diário: O ano de 2017 foi um ano especial pra vocês com as conquistas do campeonato Brasileiro e Supercopa em cima do rival. E desde já, gostaríamos de parabenizar você e toda equipe pelas conquistas e competições que fizeram, colocando o Cruzeiro mais uma vez no topo. Conta um pouco sobre essas conquistas. Qual foi o jogo mais especial dessa temporada pro Raphinha?

Raphinha: Obrigado! O ano não havia começado como esperávamos, fomos eliminados na primeira fase da Copa do Brasil. Trabalhamos bastante, nos dedicamos diariamente e focamos na próxima competição, que seria o Brasileiro sub 20, e graças a Deus nos consagramos campeões. Logo em seguida fomos campeões da Supercopa sub 20 em cima do Atlético. Com isto nos classificamos para a Libertadores sub 20, que começa em fevereiro no Uruguai. Destaco como meu jogo mais importante o primeiro da final do Brasileiro sub 20 contra o Coritiba no Independência, por ser uma final. Iria dando uma assistência que nos daria a vitória! Fiz bons jogos também na Alemanha, onde enfrentamos gigantes europeus como Manchester United e Liverpool.

Diário: Não poderíamos falar dessas conquistas sem citar o seu desempenho. Tem crescido muito de rendimento e sido um jogador fundamental sempre que esteve em campo À que você atribui esse momento?!

Raphinha: Me sinto adaptado na equipe e preparado para ajudar sempre. Cheguei no Cruzeiro jogando como meia atacante e aqui passei a jogar de Lateral-esquerdo. Atribuo esse momento ao meu trabalho e dedicação e às orientações da nossa comissão.

Diário:Voltando a falar de Libertadores, que é um torneio internacional, no início desse ano vocês disputaram o U-19 Championship Trophy, na Alemanha. Torneio, inclusive, que já foi disputado por grandes nomes do mundo da bola hoje como Toni Kross, Schweinsteiger e o brasileiro Kaká. Qual a importância de disputar um torneio internacional desse porte pra carreira de vocês e andamento da temporada?!

Raphinha: Estava subindo de categoria e esse torneio foi fundamental e super importante para o meu crescimento. Tinham grandes equipes europeias, e diversas formas táticas e técnicas de jogar. Pude fazer 3 gols e me destacar fazendo bons jogos.

Diário: Existe um jogo ou um gol especial do qual o Raphinha jamais irá esquecer?! Conta um pouco como foi pra gente?!

Raphinha: Neste ano, pelo Cruzeiro, o jogo do Campeonato Mineiro contra o Villa Nova. Recebi um lançamento um pouco à frente do meio de campo. Driblei um jogador, arranquei, invadi a área e finalizei. Foi um gol muito bonito!

Diário: Pensando um pouco num futuro próximo, o Raphinha já se vê atuando no time profissional num jogo com o Mineirão lotado?!

Raphinha: Sempre que fui chamado para treinar na equipe profissional fui bem, fiz gols e dei assistências. Foram experiências maravilhosas. Atuei ao lado de grandes jogadores e fui bem recebido por todos. No último treino eu e o Alisson fizemos boas jogadas juntos. Ele também veio da base e me deu muita força. Claro que me vejo atuando no time profissional, seria uma sonho realizado. Estou trabalhando muito para que eu possa ter uma oportunidade na equipe de cima.

Diário: O que o Cruzeiro representa pra você hoje?!

Raphinha: Hoje eu considero o Cruzeiro como minha casa! Passo a maior parte do dia dentro do clube. Estou completando 3 anos no Maior de Minas e acho que fiz a opção correta. Aqui estou feliz!

Diário: Jovem, promissor, você tem apenas 18 anos e está de contrato renovado com o Cruzeiro. Quais os objetivos do Raphinha daqui pra frente com a camisa celeste??

Raphinha: Venho me dedicando ao máximo para que o meu principal objetivo seja alcançado, que é ser promovido para o time profissional. Chegando lá, quero fazer história no clube e conquistar muitos títulos.

Diário: Estamos chegando ao final desse bate papo e gostaríamos de agradecer mais uma vez por estar recebendo o Diário Celeste. Antes de finalizarmos, deixa um recadinho pra nação azul que está acompanhando essa matéria agora, e com certeza, torce muito pelo seu sucesso com a camisa celeste.

Raphinha: Fala Nação Celeste, espero dar muitas alegrias para vocês! Contem sempre comigo. Raça e empenho não faltarão na defesa da nossa camisa em campo. Vamos com tudo para a Copinha e feliz 2018 para nós!

Pois é nação, essa foi nossa entrevista com o nosso parceiro Raphinha, ficamos na torcida para que o Cruzeiro faça uma ótima competição, que repita o ótimo ano de 2017. Fiquem ligados que em breve traremos mais entrevistas, não só aqui no site, como também em nosso canal lá no YouTube. E se você quiser acompanhar um pouquinho mais do Raphinha, deixaremos aqui as redes sociais dele para vocês seguirem, abraços!

Redes sociais do Raphinha:
Facebook: https://www.facebook.com/raphinharls
Instagram: https://www.instagram.com/raphinharls/
Twitter: https://twitter.com/raphinharls

Compartilhar com:

Dyhego

Comentários